sexta-feira, 24 de abril de 2015

VEREADOR PRESTA HOMENAGEM AO PREFEITO FAISAL

 
O socialista  entregou uma placa de prata ao prefeito de Campo Bom em forma de agradecimento.

Na manhã de quarta-feira (22.04) o vereador Jair Wingert (PSB) de Campo Bom entregou ao prefeito Faisal Karam uma placa de prata, uma Biblia Sagrada, um dvd “O Grande Conflito”, do pastor Luis Gonçalves e o livro A Grande Esperança do pastor Alejandro Bullon. A homenagem ao administrador  campo-bonense  conforme destaca o vereador  do PSB aconteceu  como uma maneira de agradecer ao prefeito pelo carinho no atendimento de um pleito antigo do parlamentar que reivindicava desde 2009 a  colocação do monumento da Lei de Deus num lugar de destaque na cidade. Na verdade na administração anterior o monumento que foi um presente dos Jovens Adventistas do Sétimo Dia a cidade, inaugurado em 1986 e estava localizado no largo da Biblioteca, sendo uma referência do município, aliás, em todas as cidades, a Lei de Deus está em locais destacados, mas com a reforma da praça e a criação do Largo Irmãos Vetter, o monumento foi transferido para um local acanhado na Avenida dos Estados ao lado do quartel dos Bombeiros. A partir deste período Wingert  passou a batalhar para que o monumento fosse  realocado para um lugar de destaque. Em 2009 como suplente de vereador Wingert teve aprovado  um oficio que solicitava a mudança do monumento, já em 2013 eleito vereador encaminhou novamente o pedido, porém só em 2014 após uma reunião com o prefeito Faisal  fez novamente a solicitação que foi aceita pelo prefeito, que solicitou que fosse escolhido um local junto ao Parcão próximo ao CEI.

“O ato do prefeito Faisal terá repercussão quem sabe para a eternidade”

A Prefeitura através da Secretaria de Obras efetuou a transferência do monumento, sendo que o prefeito sugeriu que fosse escolhido um local junto ao Parcão próximo ao complexo CEI. Coube a Igreja Adventista do Sétimo Dia (Central de Campo Bom) restaurar o monumento. O monumento passou por uma  completa restauração recebendo uma nova pedra de mármore e uma pintura nova. A placa foi mantida a originalidade destacando a importância dos Dez Mandamentos da Lei de Deus que ainda estão em vigor (Exôdo 20).  O vereador Jair Wingert que é membro da Igreja Adventista do Sétimo Dia (Central), salienta que como adventista e vereador agradece ao gesto nobre do prefeito Faisal ao atender a solicitação da comunidade, não só dos adventistas, mas de todos os cristãos pois os Dez Mandamentos e a fé em Jesus Cristo como salvador são a bússola que dirige os cristãos. “O nosso gabinete está prestando uma justa homenagem ao prefeito, repassando uma placa de prata onde agradecemos seu ato nobre e histórico. Também presenteamos ao prefeito e a sua família com uma Bíblia que é o livro dos livros, e que esta possa ser  uma luz a guiar seu caminho” destaca o parlamentar socialista que segue sua análise: “Aliás, em nosso discurso de posse destaquei que o prefeito Faisal havia pacificado a cidade e que nós  faríamos uma oposição propositiva, respeitosa, apontando caminhos e ajudando a construir a Campo Bom que todos queremos. Não faço a crítica pela crítica, procuro primar pelo diálogo e pelo pragmatismo na minha atuação parlamentar. Vivo o que prego”, observa Wingert que segue sua avaliação: “Na placa gravamos o texto de Mateus 5:9 que afirma: bem aventurados os pacificadores porque serão chamados filhos de Deus. Agradeço publicamente ao prefeito Faisal pelo carinho para com o nosso pedido e não esqueço o que Deus disse a Abraão; o pai da fé: abençoarei os que abençoar e amaldiçoarei os que amaldiçoarem. O gesto do nosso prefeito com relação a imutável Lei de Deus terá repercussões para a eternidade, creio nisso e me sinto feliz e honrado de ser o porta voz deste pleito do povo cristão de Campo Bom”, finaliza o vereador Jair Wingert (PSB).

Prefeito elogiou trabalho da IASD e sugeriu plantio de flores ao redor do monumento

Já o prefeito Faisal Karam (PMDB). agradeceu a gentileza e enfatizou que a fé e a religiosidade são instrumentos importantes nestes momentos difíceis que o mundo vem passando com ódio, guerra, violência e inversão de valores. O prefeito também ressaltou que sua administração tem uma relação cortês e de parceria com todas as denominações religiosas e que conhece a obra e o trabalho dos adventistas dos Sétimo Dia em Campo Bom. Por último o prefeito Faisal Karam (PMDB) sugeriu que a Igreja Adventista do Sétimo Dia efetuasse o plantio de flores ao redor do monumento da Lei de Deus dando mais beleza ao local.

ASTRO É INAUGURADA EM GRANDE ESTILO

Nova sede da Astro, um local requintado onde o talento e o profissionalismo foram morar!
Na quinta-feira (16.04) foi inaugurada a Astro em grande estilo. Numa festa bem intimista com música ao vivo, valorizando os talentos locais, bem como, comes e bebes que molharam a palavra e abriram espaço para momentos de pura filosofia e ludicidade. A Astro é uma empresa que está a 15 anos no mercado, é administrada pela publicitária Raquel Vieira e por Marco Antonio dos Santos, seu maior patrimônio é a experiência, funcionários e seus clientes em várias cidades do Brasil. Trabalham com placas de sinalização, fachadas personalizadas, letra caixa, números para residências em inox, imagens digitais, serigrafia, personalização de veículos, baners, faixas, adesivos, etc...Ao longo destes 13 anos o casal Raquel e Mikonga e seus colaboradores priorizam a qualidade, criatividade e a responsabilidade de seus produtos acreditando que desta forma é que se adquire a fidelidade dos clientes e conquista o mercado. A Astro produz satisfação total e encantamento de seus clientes. Agora com sede própria num local requintado no centro de Campo Bom para atender aos clientes. A Astro está localizada na Rua 15 de Novembro, 356 bem pertinho do Estádio Sady Arnildo Schmidt (XV de Novembro). Aos amigos Raquel e Mikonga, bem como aos colaboradores, fornecedores e clientes, o gabinete do vereador e jornalista Jair Wingert, parabeniza pela inauguração e deseja muito sucesso nesta caminhada que será marcada pela ampliação e conquista de novos nichos mercadológicos além fronteira! Sucesso e não esqueçam dos Amigos da Terra e do Céu, porque ninguém faz nada sozinho! Jair Wingert; jornalista e vereador do PSB – Campo Bom.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

O VELÓRIO DO ARNÓBIO

Arnóbio deixou a funerária no preju...
A morte é sempre um desvio de rota, tudo porque o ser humano não foi criado para morrer. Houve um grave problema de percurso. Uns acreditam que a morte é descanso, particularmente tenho minhas dúvidas e creio que se é descanso, prefiro viver cansado. O ruim não é morrer, duro é deixar de viver. Inclusive já pedi que no meu túmulo quando um dia destes eu for poeira ou folha levada no vento da madrugada quero que conste a seguinte inscrição: Aqui jaz muito a contra gosto, o jornalista Jair Wingert. Pelos cálculos devo morrer depois dos 125 anos, porque os Wingert são longevos. O velho meu pai, Alfredo Wingert morreu em tenra idade, com 94 anos.  Mas a vida é marcada por despedidas. Não obstante fui comunicado de forma abrupta do falecimento do Arnóbio; figura emblemática do Morro. Adorava tocar uma viola, parceiro de pescaria do Barata e do Paulo Pança. Torcedor apaixonado do Oriente. O Arnóbio havia trabalhado nas fábricas de calçados no tempo em que bom era Campo Bom, mas também nas crises cíclicas do sapato “basqueteou” nas Olarias para ganhar o pão de cada dia. Mas os anos se passaram e Arnóbio as duras penas sobrevivia cortando grama, tirando ficha no Posto de Saúde ao preço de R$ 10,00 ou lavando algum carros, cortando lenha, carregando aterro, bem como,  vendendo chás ou temperos que buscava em Porto  Alegre no Mercado Público. Homem simples de conselhos bons. O Arnóbio era do tipo que fala com sapiência aos jovens. Nos bares ao redor das mesas de sinuca ou carteado aconselhava aos pais de família a não beber e voltar para casa e cuidar do mais precioso: a esposa e os filhos. Era o Confúcio dos botecos. Arnóbio nunca casou e ainda brincava “- Passar fome é melhor sozinho”. Mesmo sendo solitário parecia alegre e jamais reclamava da vida. Não raro retirava areia do arroio Quatro Colônias e amontoava a mesma nas margens onde aguardava até que uma carroça transportasse o produto.  Noite fria de inverno no necrotério da Metzler estavam todos lá para o velório do Arnóbio. Uma coroa de flores no canto trazia a homenagem dos amigos do Morro. “Saudades do Arnóbio”. Um grupo já foi pesquisando quais seriam os heróis da resistência que passariam a noite no velório do Arnóbio.  Após o levantamento  iniciaram o processo de vaquinha para a compra de café e lanches, chegou-se a conclusão que para o alimento haviam arrecadado 17 reais. Na parte externa contam que os pinguços haviam arrecadado cerca de 500,00 reais para o produto etílico. O vento frio, típico das noites invernais  assobiava lá fora. Na rua muitos fumantes contribuíam alimentando uma futura doença. Alguns choravam, outros contavam os feitos do falecido. Havia quem relatava que Arnóbio tivera uma desilusão amorosa e por isso viera para Campo Bom nos anos 60. Os mais antigos contavam suas bravatas nos renhidos clássicos entre Oriente e Rio-grandense. Recordavam que num clássico ali onde era o Vendão, na Presidente Vargas, bem na frente do Sesi, na baixada (Porto Blos), após um gol do Oriente a partida terminara em pancadaria e conta a lenda que Arnóbio com uma peixeira e uma pistola sem balas segurou a turba da baixada para não invadir o vestiário. Num canto da Capela Mortuária uma mulher elegante e perfumada, que aparentava seus 60 anos chorava de forma desolada. Ninguém a conhecia, mas o veículo que a trouxera tinha placas de Canoas e a dona tinha até motorista. Não faltou algum incauto para afirmar que se tratava do amor do passado do Arnóbio e que o trocara por um rico empresário. Porém as fofoqueiras de plantão sentenciaram que se tratava da irmã de Arnóbio que arrependida vinha para a última despedida ao irmão que descansaria em solo campo-bonense. Na sua carteira de identidade dizia que nascera em São Borja, o que levantava a suspeita que poderia ser filhos de fazendeiros ou que era simpatizante de Vargas, Jango e Brizola e que no golpe militar fugira para a região. Ao certo ninguém sabia muito sobre o velho taura que batera cachuleta e iria morar na cidade dos pés juntos. Estava todo mundo no velório do Arnóbio, inclusive a mulher dos perfumes que ele comprava para pagar no final do mês. Os amigos todos estavam lá, inclusive eu, porém para surpresa de todos, somente o Arnóbio, o morto não apareceu. Que papelão. Isso não se faz Arnóbio. Literalmente ele se fez de morto para... (o coveiro). Que coisa, um velório sem o defunto. Arnóbio não morreu! (E você que não gostou se... Não vale rima viu, porque é: você que não gostou se ferrou). Vida longa ao Arnóbio; a antítese do herói do Morro, um dos poucos que enganou a morte!
Jair Wingert; jornalista do Morro.

*Esta  é uma obra de ficção e qualquer semelhança com a vida real não terá sido mera coincidência.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

VEREADOR JAIR EM DEFESA DA SAÚDE DA MULHER

Jair Wingert é uma voz forte na Câmara de Vereadores em  defesa da saúde da mulher
Socialista defende que mamografia deve ser  realizada a partir dos 40 anos

O vereador Jair Wingert tem como uma de suas bandeiras de lutas melhorias e avanços na área de saúde da mulher. O vereador é autor de diversas ações que buscam ampliar os serviços de prevenção ao câncer de mama e de colo do útero, bem como, promove de forma gratuita em várias cidades do Estado palestras onde relata a importância da prevenção quer com exames, mudanças de hábitos alimentares, exercício  físico e a busca espiritual através da fé. O vereador teve um caso de câncer de mama em 2008 na família, quando sua esposa foi acometida desta patologia (doença de Paget) e teve que submeter a uma mastectomia radical (retirada total da mama), passou por sessões de quimioterapia, radioterapia e posteriormente fez a reconstrução da mama. “Nosso mundo  veio abaixo, mas graças a Deus e aos avanços da medicina superamos esta luta. O Câncer  normalmente acontece só na família dos outros, quando é na sua, tudo muda. Foi uma luta, mas que veio e nos deixou mais fortes e unidos. Nos aproximamos mais de Deus e tivemos auxilio dos amigos da terra e do céu. Vencemos o câncer e hoje defendemos esta bandeira em nosso mandato”, opina Wingert.

“A dor ensina a gemer. Sou parceiro na luta contra o câncer”


Através de uma Moção de Apelo 03/2015 de autoria do vereador Jair Wingert, a qual foi aprovada de forma unânime pelos demais vereadores de Campo Bom e encaminhada ao Senado Federal no sentido de que o senador Renan Calheiros; presidente do Senado coloque em votação de forma urgente o Projeto de decreto Legislativo 1.442/14 de autoria da deputada Carmen Zanotto (PPS/SC). O projeto da deputada prevê o cumprimento da Lei 11.664/2008 no qual determina que toda mulher a partir dos 40 anos de idades tenha direito a realizar o exame de mamografia pelo SUS. Hoje duas portarias determinam que a mamografia de rastreamento  (aquela realizada em mulheres que não apresentam sintomas da doença) seja realizada a partir dos 50 anos. O vereador Jair Wingert chama de absurdo esta portaria. “O rastreamento a partir dos 40 anos garante a detecção precoce de tumores que descobertos cedo aumenta em 95% as chances de cura. O câncer de mama descoberto cedo aumenta as chances de cura e se torna um tratamento menos agressivo de menos dispendioso. Como vereador e como alguém que viveu na pele este problema defendo a realização dos exames a partir dos 40 anos, pois isso representa vidas salvas. E acredito que outras Câmaras, outros vereadores da região deveriam encaminhar ao Senado Moções. Nós também enviamos cópia da Moção aos nossos três senadores – Paulo Paim (PT), Ana Amélia Lemos (PP) e Lazier Martins (PDT) e esperamos que os mesmos venham defender e pressionar para que o projeto seja votado urgentemente”, destaca Jair Wingert que ainda complementa: “em Campo Bom, o prefeito Faisal determinou que o município vai continuar realizando com recursos próprios os exames de rastreamento em mulheres a partir de 40 anos. Isso é elogiável e tem nosso reconhecimento, bem como, demonstra compromisso em proteger de forma preventiva a saúde das mulheres campo-bonenses”, finaliza o socialista Jair Wingert.

terça-feira, 14 de abril de 2015

AS VEIAS DA AMÉRICA FECHARAM

As veias da America se fecharam...

Morreu Eduardo Galeano
O escritor Eduardo Galeano morreu, aos 74 anos, na manhã desta segunda-feira (14.04). De acordo com o jornal uruguaio El País, o autor de As Veias Abertas da América Latina estava em sua casa, em Montevidéu. Ele lutava contra um câncer no mediastino (região da cavidade torácica) que havia entrado em metástase. Nascido em Montevidéu em 1940, Galeano começou cedo no jornalismo e na literatura — aos 14 anos, já vendia charges para jornais uruguaios. Famoso pela multiplicidade (escreveu livros de História, ficção e ensaios), denunciou a opressão no continente latino em As Veias Abertas da América Latina, traduzido para dezenas de idiomas e referência no assunto até hoje. Em Montevidéu, foi chefe de redação do semanário Marcha e diretor do jornal Época, carreira encerrada pelo golpe militar no Uruguai. Em 1973, foi preso pela ditadura e exilou-se na Argentina para fugir da prisão. Lá, chegou a lançar livros, mas teve a vida novamente dificultada pelo golpe militar liderado pelo general Jorge Videla, em 1976. Para fugir dos esquadrões da morte, refugia-se na Espanha, de onde sai apenas em 1985, quando da redemocratização do Uruguai — e nunca mais deixa a Capital.Nascido em Montevidéu no dia 3 de setembro de 1940, Eduardo Galeano começou muito jovem no jornalismo e nos mais variados gêneros literários como o ensaio, a poesia e a narrativa. Ensaísta, historiador e ficcionista, publicou mais de 30 livros, quase todos traduzidos no Brasil. Ele é autor da obra "As veias abertas da América Latina", em que denunciou a opressão e amargura do continente e que foi traduzido para dezenas de idiomas. Em sua cidade natal, foi chefe de redação do semanário "Marcha", na década de 1960, e diretor do jornal "Época". Aos 14 anos, Galeano já vendia suas primeiras charges políticas para jornais uruguaios como El Sol, do Partido Socialista.

Um sobrevivente da ditadura
Durante o golpe militar no Uruguai, em 1973, Galeano foi preso. Para fugir da cadeia, exila-se na Argentina. No país vizinho, chegou a lançar o livro “Crisis”, mas não teve vida fácil. Em 1976, outro golpe militar, dessa vez liderado pelo general Jorge Videla, coloca novamente sua vida em risco.O nome do escritor vai parar na lista dos esquadrões da morte, que executavam opositores ao regime. Para salvar sua vida, ele se refugia na Espanha. Ele só voltaria ao Uruguai em 1985, quando ocorre a redemocratização. Após o retorno, viveu em Montividéu até morrer.Recebeu o prêmio Casa de Las Américas em 1975 e 1978, e o prêmio Aloa, promovido pelas casas editoras dinamarquesas, em 1993. A trilogia "Memória do fogo" foi premiada pelo Ministério da Cultura do Uruguai e recebeu o American Book Award (Washington University, EUA) em 1989. Ainda em solo espanhol, Galeano iniciou “Memória do fogo”, uma trilogia sobre a História das Américas. Passando pelos povos pré-colombianos até o recuo das ditaduras militares na região, Galeano leva para as páginas personagens como generais, artistas e revolucionários. A história americana é contatada por meio de pequenos textos sobre ações que mudaram o modo de encarar a vida no continente. Em 1999, Galeano foi o primeiro autor homenageado com o prêmio à Liberdade Cultural, da Lannan Foundation (Novo México). É autor de "De pernas pro ar", "Dias e noites de amor e de guerra", "Futebol ao sol e à sombra", "O livro dos abraços", "Memória do fogo" (que engloba "Os nascimentos", "As caras e as máscaras" e "O século do vento"), "Mulheres", "As palavras andantes", "Vagamundo", "As veias abertas da América Latina" e "Os filhos dos dias".

Frases marcantes do escritos e jornalista:

"Somos o que fazemos, mas somos, principalmente, o que fazemos para mudar o que somos."

"Na luta do bem contra o mal, é sempre o povo que morre"

"Quando as palavras não são tão dignas quanto o silêncio, é melhor calar e esperar."

"A primeira condição para modificar a realidade consiste em conhece-la."

"Somos porque ganhamos. Se perdemos, deixamos de ser."

"A memória guardará o que valer a pena. A memória sabe de mim mais que eu; e ela não perde o que merece ser salvo."

Não passo de um mendigo do futebol, ando pelo mundo de chapéu na mão, e nos estádios suplico:Uma linda jogada pelo amor de Deus! E quando acontece o bom futebol, agradeço o milagre sem me importar com o clube ou o país que o oferece.

sexta-feira, 27 de março de 2015

VEREADOR JAIR WINGERT NA CEASA

Vanderlan Vasconcellos, Cirano Cardozo, Claudio Cunha e Jair Wingert.
Na quinta-feira (26.03), o vereador Jair Wingert (PSB) esteve visitando a Ceasa (A Central de Abastecimento do Estado do Rio Grande do Sul S/A - CEASA/RS é uma sociedade por ações de economia mista, tendo capital do Governo do Estado do Rio Grande do Sul (a quem cabe a gestão, através da Secretaria de Desenvolvimento, Rural, Pesca e Cooperativismo) e Prefeitura Municipal de Porto Alegre) acompanhando do seu assessor Cláudio Cunha e do advogado Cirano de Carli Cardozo. O socialista esteve visitando o diretor administrativo e financeiro da Ceasa, Vanderlan Vasconcellos ex-prefeito de Esteio (em duas oportunidades) e deputado estadual pelo PSB. “O nosso objetivo foi levar apoio e solidariedade ao querido companheiro Vanderlan que assumiu este posto na Ceasa, aliás, o Vanderlan é uma figura humana fora de série. Um cidadão de bem, homem íntegro, sério, honesto e que nestes tempos de inversão de valores, serve como bússola a nos apontar o caminho. O PSB indicou para este cargo uma pessoa capacitada e que fará uma revolução na Ceasa tenho convicção”, observou Wingert que seguiu seu raciocínio. “Não conhecia a Ceasa e fiquei surpreso com a estrutura que possui. É uma cidade dentro da cidade, pois são 30 mil pessoas dia que freqüentam o local, quase 8 mil trabalhadores e 9 mil veiculos diários chegam até a Central de Abastecimento. Fiquei impressionado com o que vi. E como socialista acredito que o Vanderlan fará um trabalho importante no sentido de agilizar, dinamizar e dar maior qualidade ainda aos serviços da Ceasa”, finaliza Jair Wingert (PSB).

O que é a Ceasa?

Conta com uma área de aproximadamente 420.000 m², sendo 73.000 m² de área construída, distribuídos da seguinte forma: prédio da administração, 10 pavilhões de atacadistas com 400 lojas, pavilhão dos produtores com 994 módulos, pavilhão da melancia com 5 estruturas cobertas e 1 estacionamento para veículos com 10.000 vagas, pavilhão dos carregadores autônomos com 800 vagas, pavilhão para depósito e desdobramento com 15 galpões, 1 galpão para frigoríficos, central de lavagens de caixas plásticas e centro de utilidade pública com: postos médico e policial, telecentro e agências bancárias. Oferece um mix com mais de 110 produtos, aqui se encontram produção de 198 municípios gaúchos, 18 Estados brasileiros e 9 países, distribuídos entre boxes e lojas, separados em vários pavilhões do complexo onde se comercializam flores, frutas, legumes, ovos, além de produtos não perecíveis e prestação de serviços, destinando seus produtos a produtores, comerciantes, atacadistas, clientes compradores/distribuidores e prestadores de serviço.  A CEASA/RS é o grande centro distribuidor de hortigranjeiros do Rio Grande do Sul. Cerca de 35% do total consumido no Estado são comercializados pelas empresas e produtores que operam na CEASA/RS.  É uma cidade dentro da cidade com toda infra-estrutura de serviços: bancos, lanchonetes, restaurantes, churrascaria, escritório de prestação de serviços, além de serviço médico de urgência. A Ceasa está localizada na Av. Fernando Ferrari, 1001 - Bairro Anchieta, Porto Alegre.
Vista áerea de toda área da Ceasa e que agora tem um socialista no diretor administrativo e financeiro.
Os pavilhões que abastecem o Rio Grande do Sul, diariamente milhares de pessoas frequentam a Ceasa em Porto Alegre

terça-feira, 24 de março de 2015

AUDIÊNCIA COM A DEPUTADA LIZIANE BAYER


O vereador Jair Wingert (PSB), visitou a deputada Liziane Bayer e solicitou a criação de um projeto que estabeleça concurso público aos domingos.

Vereador Jair Wingert (PSB) apresentou demandas e firmou parceria com a deputada socialista.
O vereador do PSB, Jair Wingert esteve na Assembléia Legislativa gaúcha onde esteve reunido com a deputada estadual do PSB, Liziane Bayer. O parlamentar destaca que o encontro foi altamente proveitoso e que o objetivo além de apresentar demandas do município com ênfase na área de saúde da mulher, outro objetivo da reunião foi firmar uma parceria com a deputada em termos de Campo Bom. A deputada Liziane Bayer é pastora e ligada a Igreja Internacional da Graça (TV Bandeirantes). A deputada recebeu o vereador campo-bonense e colocou o gabinete e o mandato a disposição para pleitos da cidade sapateira. O vereador Jair Wingert destacou a importância da participação dos cristãos na política “Muitos dizem, ah vou orar para tu não te eleger, porque política tem muita sujeira, mas é justamente por isso que os cristãos devem entrar na política, Jesus disse que devemos ser o sal da terra e a luz do mundo. As pessoas não se tornam corruptas porque entram na política, elas já são corruptas. Deus sempre teve pessoas no meio político, como José; governador do Egito, Daniel na Babilônia e tantos outros que foram instrumentos nas mãos de Deus para governar e dar bom testemunho”, salienta o vereador que segue “Que bom que agora o PSB tem na Assembléia a deputada Liziane que é uma mulher cristã e que tem compromisso com a construção de uma sociedade mais fraterna e voltada a paz, bem como, com a proteção da família” argumenta Wingert.
Vereador pede criação de projeto que beneficia os guardadores do sábado
O socialista também solicitou a deputada Liziane Bayer a criação de um projeto o qual determinará que no Rio Grande do Sul, a provas de concursos públicos em órgãos estaduais não sejam realizadas aos sábados, beneficiando assim os guardadores deste dia (Adventistas do Sétimo Dia, Batistas do Sétimo Dia, Judeus e outros grupos religiosos que guardam o quarto mandamento da Lei de Deus – Bíblia Sagrada - Êxodo 20). Jair Wingert salientou que já é lei a questão dos concursos aos domingos em São Paulo, Paraíba e Mato Grosso, bem como, em Campo Bom já é lei municipal de autoria do ex-vereador Casquinha e sancionada pelo ex-prefeito Giovani Feltes. “Encaminhamos a deputada Liziane esta sugestão e acreditamos que a mesma junto de sua equipe técnica de gabinete fará um estudo da viabilidade deste projeto ser criado e aprovado. A lei já é uma realidade em vários estados da união e será de grande importância para os guardadores do sábado”, observa o vereador Jair que também encaminhou a deputada um projeto sugestivo no qual determina que condomínios com mais de dez unidades devam separar o lixo para reciclagem, dando um enfoque especial ao desenvolvimento sustentável” destaca Jair Wingert (PSB) que por último agradeceu a acolhida que recebeu no gabinete da deputada Liziane Bayer. “Me senti em casa, pois fui recebido com respeito e cordialidade pela Lidiane, pelo Dr. Sérgio Teixeira que é chefe de gabinete e pelos demais integrantes do gabinete da deputada Liziane Bayer.