sexta-feira, 6 de março de 2015

TIO DINO EM DOSES HOMEOPÁTICAS

Tio Dino estava em férias mas a pedido dos milhares de fãs retornou.
Um belo dia de primavera no portão do sitio do tio Dino estacionou um carro de um cola fina de Porto Alegre que desceu do veículo e se apresentou ao velho Dino destacando que soubera em Taquara da fama que o velho Arcedino tinha de ver as horas no saco do boi. Ficou tão curioso que foi conhecer de perto esse o colono. Chegando lá perguntou:
- Andam dizendo por ai que o senhor consegue ver as horas no saco do boi, poderias me mostrar? Eu sou aluno de veterinária e estou buscando acrescentar costumes campeiros. O senhor poderia me ajudar? Perguntou o cola fina. Tio ino olhando para o horizonte, deu uma pitada no palheiro (naquele época ele fumava) e disse: “É claro chê”.
Os dois se abaixaram atrás do boi, o velho Dino então pegou o saco do boi, deu uma mexida pro lado e disse: “São dez horas e catorze minutos”, sentenciou o velho Dino. Não deu outra, estava certo!
Então o moço da capital indignado perguntou: “Mas qual é o segredo senhor, pode deixar que não espalho!” Tio Dino tranquilito respondeu: “Vem cá então” Se ajoelharam atrás do boi, tio Dino então mexeu
no saco do boi e disse: “Tá vendo moço? Questionou. “Não senhor” responde o burguesinho metido. “Não tá vendo lá atrás no relógio da igreja, dez horas e vinte minutos????”, perguntou Tio Dino dando gaitadas (gaitada é boa).

Agora tirei a carteira

Tio Dino nos anos 70 passava toda semana em direção a Porto Alegre onde levava verduras para a Ceasa e queijos de cabra para um hotel famoso da capital. Todos os dias tio Dino passava com seu caminhão lotado de mercadorias. Ao passar pelo posto da Polícia Rodoviária, parava e distribuia laranjas, bananas e verduras aos policiais num gesto nobre, visando agradar aos profissionais. Isso, todas as vezes.
Até que um dia passou reto, sem parar no posto. Um dos guardas resolve segui-lo. Consegue pará-lo alguns quilômetros à frente, e pergunta:
“Ô Morungava! Por que hoje você não parou lá no posto?
E o velho Dino esboçando um sorrisão deixando aparecer o dente de ouro, responde: “Agora não  precisa mais, né ? Agora eu já tirei a carteira de motorista”.

O porco do tio Dino

Um dia tio Dino deixou três notas de cinquenta reais em cima de uma mesa e, enquanto está distraído, o porco come-lhe as notas. Imediatamente tia Miúda sugere ao esposo que dê bagaço ao porco para ele arrotar, de forma a que as notas voltem cá para fora.Como não tem bagaço em casa, o homem leva o porco à taberna e pede dois bagaços, um para ele e um para o porco. Dali a pouco, tio Dino dá um pontapé no rabo do porco e ele arrota uma nota. Mais um pouco, mais um pontapé, mais uma nota. Artidor outro agricultor aproxima-se e pergunta ao velho Dino: “Eu vi bem?” Sem mais, tio Dino dá novo pontapé no porco, há um novo arroto e surge uma nova nota. Diz novamente Artidor tirando um molho de notas do bolso: Dou-lhe 1.500,000 reais por esse porco. “Vendido!” diz tio Dino que pega o dinheiro, deixa o porco com Artidor e vai-se embora. No dia seguinte na Folha Morungavense sai estampada a manchete em letras garrafais: "Agricultor mata porco a pontapé."

Morungava terra forte

Em Morungava tudo que se planta dá. Bota terra fértil, inclusive tio Dino as vezes exagera no adubo orgânico e veja as fotos o que acontece. Outro dia tio Dino foi multado pela Prefeitura porque as raízes de aipim começaram a levantar o asfalto da estrada da frente do sitio. As vezes  tio Dino não conseguia ver a tia Miúda que estava  atrás das folhas de alface.

Tá duvidando? Achando que é mentira? Mas vai te afumentar !!!!
Tem que ter concurso – 100% Morungava!
Melância de Morungava sendo carregada por dois  peões do sitio.



Uma pequena cabeça de repolho do sitio do tio Dino.
Foto antiga que mostra um pequeno churrasco feito pelo tio Dino. Para salgar utilizaram um avião que despejava a salmora na carne.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

PEDALAR É PRECISO... VIVER NÃO É PRECISO!

Estrada da Barrinha.... paisagem magnifica de um lado o Sinos e do outro sítios.
Tarde quente e no horizonte nuvens acinzentadas dão prenúncios de chuva no final da tarde.  De posse da minha Huston, ou melhor, da Lídia que ganhou num sorteio da Padaria do Alemão no Rio Branco no natal, preparei-me para dar umas pedaladas por Campo Bom. Ao ingressar na Avenida dos Municípios um questionamento, por que não pedalar até Lomba Grande, por que não? Segui o rumo do meu próprio coração sem capacete, sem pedômetro e sem os apetrechos necessários utilizados pelos mais experientes, mas como diz o Almir Satter “ando devagar porque já tive pressa”. Apenas a bicicleta, eu e a máquina fotográfica. Adentramos na ponte da Barrinha que ainda hoje permanece com apenas uma pista e me deixa pensando: que caos seria se houvesse um acidente. Ao iniciar as pedaladas pela Rua Pio XII  circundando o nosso Rio dos Sinos já antevi que seria uma aventura  fantástica, a dúvida era até onde as pernas aguentariam. Ai lembrei-me de um maratonista já velho e que havia vencido uma prova e respondeu a um repórter como ele havia vencido percorrendo 42 quilômetros, o velho estilo lobo da estepe respondeu: “Não corri 42 quilômetros, corri de um poste ao outro, minha meta era chegar a cada poste, se focasse no percurso não teria completado a prova, muito menos vencido”. Heureca: não foquei em Lomba Grande e sim em cada poste, cada sítio... Mas voltando a exuberância da paisagem do nosso Sinos, a cada curva um lugar mais bonito que o outro, porém o contraste existe, lixo jogado nas margens do rio, sacolas plásticas repleta de restos de empresas, restos de couro ou derivados as margens e o pior de tudo é retrato da falta de fiscalização são as árvores caídas dentro do rio  vitimas da ação sórdidas das dragas que retiram sem dó e sem piedade a areia de forma predatória, o que  vem transformando  a paisagem do Sinos. Até quando? Tudo pelo progresso, mas a que preço? Outra cena terrível são cães e gatos que são abandonados na Rua Pio XII. Um ser humano que é capaz de deixar na beira de uma estrada, um cão que serviu de guarda, que o esperava latindo e fazendo a maior festa quando retornava, agora, porém que está velho e doente é relegado a este triste fim, me desculpe pode ser chamado de tudo, menos de humano. Faço minhas as palavra célebres do mestre Buffon “Plus jê connais les hommes, plus j´aime les animaux”, “Quanto mais conheço os homens mais amo os animais”. A cada pedalada um universo magnifico se  descortinava e que há muito eu havia esquecido. A via moderna o uso do carro faz você se afastar de tantas coisas boas e simples desta vida. Ao lado direito, sítios, algumas cabeças de gado e até uma hospedaria para cavalos, onde os cuidadores mateavam a sombra de um ingazeiro. Incrível, o chimarrão é a bebida mais democrática que existe, ali todos são iguais, no ritual quase místico do chimarrão, patrão e peão são literalmente iguais, pois bebem na mesma cuia. Acrescentaria ao “Veda” do mate amargo algo que pode soar atrevimento, mas o chimarrão ao meu modesto modo de ver  é uma bebida que além de integrar, ela na sua essência é socialista.  Logo em frente após  o sitio do meu amigo Sadi Santos está se formando uma espécie de túnel verde, onde as árvores das duas margens da estrada estão se interligando num espetáculo  lindíssimo. Pelo Rio dos Sinos aportaram os imigrantes que construíram a riqueza desta região, mas em contrapartida observo que nós viramos as costas para o Sinos, as cidades se desenvolveram de costas para o rio que nos deu vida e trouxe  desenvolvimento.  Em algumas margens pescadores estão ali com seus caniços, nem tanto para pegar peixe, mas, sobretudo para desopilar, espantar o estresse. Em uma das clareiras, três homens tinham esperas de linha jogadas ao rio e  linguiças assando sobre um braseiro. O cheiro convidativo, mas a disciplina  de pedalar e chegar ao destino falou mais alto. Na frente da Tenda dos Sucos, aliás, um dos melhores sucos da região, com atendimento excelente, pois na beira da barranca pescando com molinete e linha, meu amigo Fábio Moto Boy que confidenciou sua paixão pelo rio e que seguidamente busca refúgio nas margens do Sinos, local segundo Fábio propicio para meditar, pensar na vida e ouvir o silêncio da águas, outrora “Rio dos Ratões do Banhado”, nome dado pelos índios que aqui viviam.  O conjunto de espécies animais distribuídas por toda margem do Rio dos Sinos é abundante e inclui cará, lambari, grumatã, mussum, barrigudinho, gavião carijó, caracará, pica-pau do campo, socó boi, tico-tico, tesourinha, suiriri, bem-te-vi, e outros  animais em extinção que habitam o rio dos sinos são: a lontra, o jacaré-do-papo-amarelo e o cisne do pescoço preto. Algumas espécies vegetais da flora do vale do Rio dos Sinos são o ingá, o salgueiro, o sarandi, a açoita-cavalo, o corticeiro, bromélias, orquídeas, e outras. Em outra curva vislumbramos a Olaria Ritter e um açude maravilhoso. Próxima parada a bifurcação em Santa Maria dos Caboclos ou do Butiá como alguns desejam, a esquerda seguimos em direção ao Gomerço, Morro da Pedra, Pinhal, Pega Fogo,  Fialho, Figueirão, Vira Machado e Taquara. A direita segue-se para Lomba Grande, não sem antes parar e admirar a Igreja Católica da Santa Maria.  Não muito longe da Igreja na estrada em direção a Lomba Grande encontro um menino que de forma solicita atende ao meu pedido para fotografar este aventureiro. Ao dialogar descobri que o Junior o referido menino é filho de um amigo querido, o Roque Marconi Melo; grande bancário, funcionário do Banco do Brasil de longa data, onde cumpre uma importante função. Fui colega do Roque em 1978, na Escola Ildefonso Pinto. Trata-se de um cidadão de bem, de um exemplar chefe de família e sem falso elogio, pessoas do nível de um Roque deveriam nascer em maior escala. Foto tirada para comprovar a aventura deste jovem 5.1, segui em frente e na estrada próximo a Lomba Grande fui saudado por um beija-flor dando-me as boas vindas.  Ao chegar à Lomba me senti em casa, aliás, minha história com este lugar remonta de muito tempo, pois minha mãe quando criança chegou a morar na Lomba Grande. Tenho alguns sonhos, um deles é fazer o Caminho de Santiago de Compostela (800 quilômetros), caminho da França a Espanha, culminando com a chegada à Catedral de Compostela onde está sepultado o apóstolo Tiago, outro sonho é morar na Lomba Grande, ou melhor, adquirir um sitio ou casa neste bucólico lugar. Seu casario em estilo germânico e a rua principal com seu comércio e as pessoas com sorriso fácil, dão demonstração que mesmo dentro da loucura do estresse cotidiano é possível andar devagar. Eles, os lomba-grandense sorriem com facilidade e te apertam a mão ao cumprimentar. Missão cumprida retornei ao anoitecer em algumas partes fui brindado por uma escolta de vagalumes. Foram 16 quilômetros para ir e mais 16 para retornar, num total de 32 quilômetros. Um bom começo para um lobo solitário. No dia seguinte alguns dores musculares, mas a certeza de que muito em breve faço o percurso novamente, eu, a Huston, a máquina e mais alguns amigos e familiares que estiverem dispostos a pedalar.    
Texto e Fotos: Jair Wingert; jornalista.
Ao lado direito sentido Campo Bom/Santa Maria a paisagem é  belíssima. Uma velha árvore resiste como os homens de bem, que envergam mas não quebram.
Fábio Moto Boy num momento de descontração na barranca do nosso Sinos
Na  frente da Igreja da Santa Maria dos Caboclos, quem não tem “pau de salfe” improvisa né meu.
Seguindo para Lomba Grande fotografado pelo Junior, filho do meu amigo Roque.
Na estrada para Lomba Grande a paisagem não tão distante dos Morros de Dois Irmãos e Campo Bom logo abaixo.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O SILÊNCIO DOS LOBOS



Gostaria de ter escrito este texto, parece que ultimamente estou encontrando pessoas que expressam melhor o que venho passando e as mudanças que vem acontecendo na minha vida, gostaria mais uma vez de compartilhar esta linda história com vocês, reflitam e aproveitem.

"...Pense em alguém que seja poderoso… Essa pessoa briga e grita como uma galinha, ou olha e silencia, como um lobo? Lobos não gritam. Eles têm a aura de força e poder. Observam em silêncio. Somente os poderosos, sejam lobos, homens ou mulheres, respondem a um ataque verbal com o silêncio. Além disso, quem evita dizer tudo o que tem vontade, raramente se arrepende por magoar alguém com palavras ásperas e impensadas. Exatamente por isso, o primeiro e mais óbvio sinal de poder sobre si mesmo é o silêncio em momentos críticos.
Se você está em silêncio, olhando para o problema, mostra que está pensando, sem tempo para debates fúteis. Se for uma discussão que já deixou o terreno da razão, quem silencia mostra que já venceu, mesmo quando o outro lado insiste em gritar a sua derrota. Olhe. Sorria.Silencie.Vá em frente. Lembre-se de que há momentos de falar e há momentos de silenciar. Escolha qual desses momentos é o correto, mesmo que tenha que se esforçar para isso. Por alguma razão, provavelmente cultural, somos treinados para a (falsa) ideia de que somos obrigados a responder a todas as perguntas e reagir a todos os ataques. Não é verdade! Você responde somente ao que quer responder e reage somente ao que quer reagir.Você nem mesmo é obrigado a atender seu telefone pessoal. Falar é uma escolha, não uma exigência, por mais que assim o pareça. Você pode escolher o silêncio.Além disso, você não terá que se arrepender por coisas ditas em momentos impensados, como defendeu Xenócrates, mais de trezentos anos antes de Cristo, ao afirmar:“Me arrependo de coisas que disse, mas jamais do meu silêncio”. Responda com o silêncio, quando for necessário. Use sorrisos, não sorrisos sarcásticos, mas reais. Use o olhar, use um abraço ou use qualquer outra coisa para não responder em alguns momentos. Você verá que o silêncio pode ser a mais poderosa das respostas. E, no momento certo, a mais compreensiva e real delas"
*Texto de Aldo Novak

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

CELSO ROTH É O NOVO TÉCNICO DO GRÊMIO COM SALÁRIO INICIAL DE R$ 950.000,00.

Celso Roth no Grêmio. (Fonte: Jornal 1º de abril de Nova Bréscia)
Buemba, buemba... direção tricolor acaba de anunciar a demissão do técnico Luis Felipe Scolari e a contratação de Celso Juarez Roth que deve se apresentar na Arena da OAS na quarta-feira de cinzas. O contrato é de 10 anos com salário de 950 mil por mês nos dois primeiros anos. Roth já anunciou que jogará com seis volantes e dois goleiros e Edinho será reintegrado ao grupo, bem como, Cléber será o capitão da equipe.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

VEREADOR JAIR REAFIRMA A LUTA PELA SAÚDE DA MULHER

Vereador Jair Wingert vai intensificar as ações nos bairros e pretende avançar na área de prevenção a saúde da mulher.
Socialista anunciou primeiro gabinete itinerante no Rio Branco em fevereiro
Na primeira sessão do ano, na última segunda-feira (02.02), na tribuna o vereador Jair Wingert do PSB fez um discurso salientando que o ano de 2015 será um ano de intensificar as ações junto a comunidade campo-bonense. O socialista enfatizou que esteve reunido com o Conselho do Mandato na metade de janeiro, onde  foram retiradas metas e ações para este ano com ênfase aos gabinetes itinerantes nos bairros. “Nós vamos ampliar os  gabinetes nos bairros, ouvindo a comunidade e canalizando suas reivindicações. Em fevereiro estaremos realizando o primeiro gabinete do ano, no bairro Rio Branco provavelmente próximo a quadra poliesportiva na Rua Tapajós”, destacou  o vereador que também destacou  a importância de  ações públicas de saúde no sentido de prevenção ao câncer especialmente o de mama, de colo do útero, patologias que anualmente ceifam a vida de  milhões de mulheres ao redor do planeta. “Nossa luta vai continuar no sentido de ampliar o acesso a exames preventivos, rapidez no diagnóstico e no tratamento da doença e isso se faz com ações na área da saúde. Precisamos cobrar tais ações dos governos Federal, Estadual e municipal, pois em relação ao câncer o melhor remédio ainda é a prevenção. O nosso Estado possui um índice elevadíssimo de câncer de mama e de colo do útero nas mulheres e de pulmão e próstata nos homens, aliás, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o câncer é a segunda doença que mais mata no planeta, perdendo apenas para as doenças cardiovasculares . Precisamos muda este quadro e devemos começar pela nossa cidade, pois a vida acontece aqui”, argumenta Wingert que garante: “Vou buscar através de emendas parlamentares recursos para melhoras e  ampliar as ações preventivas  referentes ao câncer em Campo Bom. O prefeito Faisal terá neste vereador um parceiro leal e ético. Tudo que  é bom para a comunidade voto favoravelmente e o que entender não ser benéfico voto contra . Continuarei a fazer oposição propositiva e responsável. Não faço a critica pela critica”, afirmo.

"Estou no PSB para somar e ajudar a construir um projeto que contemple uma  cidade mais fraterna, onde o ser humano seja a prioridade”

O socialista que também  salientou  a questão de ser pré-candidato a prefeito  na convenção do PSB em 2016. “Ouvi atentamente os 16 integrantes do Conselho do Mandato, confesso que fiquei lisonjeado com  a lembrança do nosso nome para  a convenção e vamos avaliar com calma, porque entendo que primeiro, o campo popular integrado pelos partidos progressistas precisam se unir e se unir em torno não de um nome, mas de um projeto para Campo Bom que contemple uma cidade para todos. Um projeto de desenvolvimento sustentável, que desenvolva ações na área de habitação popular, de transporte, bem como, que se paute num plano de  desenvolvimento estratégico e sobretudo que apoie e incentive quem produz e gera emprego, ou seja, é necessário sentar e discutir um projeto, melhorando o que vem  dando certo no atual modelo e mudando radicalmente o que não está  funcionando bem”, opina Wingert que segue seu raciocínio “Sou bem pragmático, se não ocorrer uma frente ampla é difícil o pleito, por outro lado penso que o PSB deve estar aberto a ouvir a todos os partidos, inclusive o PMDB. Não podemos fechar portas e defendo o diálogo com todos, sempre a partir de um projeto e não em mero loteamento de cargos. Dentro do PSB também existe excelentes nomes  para ocupar o cargo na majoritária e o principal é Vicente Selistre que é uma liderança regional e com força dentro do partido. Estou no PSB para somar e ajudar a construir um projeto que contemple uma  cidade mais fraterna, onde o ser humano seja a prioridade. Sou um soldado do partido e estou a disposição”, finaliza Jair Wingert (PSB).
Jair Wingert  destaca relação respeitosa com o prefeito Faisal e elogia o espirito republicano do chefe do Executivo municipal.

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

VEREADOR PRESTA HOMENAGEM A SOCIALISTAS HISTÓRICOS

“Erciria do Espirito Santo e Luizinho Machado são construtores de uma sociedade mais justa e fraterna”
O gabinete do vereador Jair Wingert (PSB) em uma de suas últimas ações do ano de 2014 buscou resgatar e homenagear dois socialistas históricos do PSB campo-bonense trata-se de Erciria José do Espirito Santo, uma das fundadoras do Partido Socialista Brasileiro de Campo Bom e o sapateiro aposentado e líder sindical Luiz Carlos Machado “seu Luizinho” como é conhecido carinhosamente. Juntamente com o assessor parlamentar Claudio Cunha, o vereador  visitou  tanto dona Erciria como  seu Luizinho e num momento  marcado pela emoção, o socialista entregou  a  dona  Erciria um quadro com a foto do filho João Batista do Espirito Santo também um dos fundadores do PSB e um incansável batalhador pela construção de uma sociedade mais justa e fraterna. Batista faleceu recentemente vítima de acidente vascular cerebral, mas deixou um legado de ética e esforço em defesa do socialismo democrático. Ele sonhava  uma Campo Bom para todos. Moradora da Rua Uruguaiana, aquela senhora já idosa, cabelos brancos brilha os olhos ao falar no PSB e dentro de sua simplicidade e humildade, lembra da dedicação do filho; Batista .

Erciria e Luizinho: o sonho de uma Campo Bom para todos não acabou

Emocionada a socialista agradeceu o presente e ainda lembrou que a foto tirada aconteceu no gabinete itinerante no centro de Campo Bom,  na Praça João Blos por ocasião do Dia Internacional da Mulher. O vereador Jair Wingert distribuiu mudas de flores com um cartãozinho alertando para a importância da prevenção  do câncer de mama.  “A gente deve  homenagear as pessoas enquanto elas estão conosco. Graças a Deus em três discursos no comitê do PSB e um na Câmara de Vereadores pude pessoalmente  destacar ao Batista a importância dele na fundação do PSB, tanto dele como da professora Maria do Carmo, da professora Teresa da Luz Nascimento, Luís do Parcão, Naldo e Maria Carvalho; verdadeiros heróis. Mas o Batista era guerreiro e no peito como diz a canção, no peito ao invés de medalhas , cicatrizes de batalhas foi o que sobrou para ele. O Batista tinha o ombro calejado de carregar bandeiras, mas infelizmente não teve o reconhecimento que deveria ter”, destaca Wingert que segue sua analise “Agora  estou diante  da dona Erciria e olhando nos olhos dela posso dizer o quanto ela é importante para o PSB e para minha história, porque nós  estamos vereador devido  a um sonho que ela ajudou embalar e construir”,  argumenta o vereador com lágrimas nos olhos e ainda  prossegue sua  enfase. Recordo-me que na Praça João Blos, o Batista me disse, olha vereador vou levar esta mudinha para a dona Erciria plantar e subiu a Avenida Brasil e ali na praça  eu fiquei contemplando e afirmei ao Cunha e aos demais companheiros, ali vai o meu partido apontando para o Batista.  Na sequencia o vereador esteve na residência de Luiz Carlos Machado; o Luizinho do Sindicato que é morador da Padre Júlio. E novamente um quadro  de uma foto do vereador com  seu Luizinho na Praça João Blos  foi entregue ao  líder sindical como forma de agradecimento  pela história de amor ao PSB. Jair Wingert salientou “Sou suspeito a falar do seu Luizinho que é cria lá de Santana do Livramento, porque sou fã dele. É um homem sério, de bem e se o Luizinho disse pode ter certeza que  é verdade. È daqueles homens antigos que honram a palavra e fio do bigode. Sou muito grato por tudo que o Luizinho fez na minha campanha. Além de um grande articulador, seu Luizinho é um sábio e de conselhos certos na hora certa. O mundo precisa de pessoas como seu Luizinho e a dona Erciria”, finaliza o vereador Jair Wingert  emocionado.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A HISTÓRIA ESTUPRADA DO BRASIL

Só mesmo um bicho do mato criado pelas macegas pode tratar como égua quem nos dá vida e amor. Decerto é um desses cueras, criado pelas barrancas, Manunciador de potrancas, Sem freio no linguajar. Não aprendeu que um gaúcho, Não faz da prenda um capacho, E que os deveres de um macho, É proteger e amar. Morocha não, respeito sim, mulher é tudo, vida e amor, Quem não gostar que fique assim, grosso, machista e barranqueador” - Leia o texto abaixo de autoria de Valdson Almeida e analise... Jair Wingert; jornalista revoltado com os canalhas e cinicos (e tem tantos em tantos lugares que me tapo de nojo).

Este texto nos convida a uma ampla reflexão. O caso do escroto pseudo deputado Bolsonaro que de bom só tem o primeiro nome (he,he,he), pois é restolho da ditadura; um faxista de marca maior que não vale a comida que come, pois o tal “deputado” (não sei como é que alguém consegue votar num escremento destes???) ao dizer que não estupraria a deputada GAÚCHA, Mária do Rosário porque ela não merecia. E olha que a Maria do Rosário não é do meu partido e nem simpatizo com com suas ações politicas, mas espere ai, onde esta o respeito? Onde está a ética? A Câmara dos Deputados precisa cassar o madato desta ameba chamada Bolsonaro. O Leonardo, um dos maiores cantores e poetas do Rio Grande do Sul escreveu uma canção em respostas a Morocha do Davi Menezes Junior e a letra diz mais ou menos assim: “

A HISTÓRIA ESTUPRADA DO BRASIL

Corre mata adentro, cansada, ofegante, vencida.
É o bandeirante desbravador estuprando a índia. E é ela a selvagem, claro!
Tapa a boca, escraviza a alma. Chora, vendida.
É o senhor da casa grande, proprietário de carne, estuprando a negra na senzala. E é ela a escória, claro!
É o militar patriota estuprando a comunista subversiva nos porões da ditadura. E é ela a ameaça ao país, claro!
É o policial vestido de hipocrisia que atende a mulher violentada agora a pouco, perguntando que roupa ela usava na hora do ocorrido. E é ela que se veste errado, claro!
É o pai de família que faz sexo com a esposa indisposta. Mas isso não é estupro, é só sexo sem consentimento mútuo, claro!
É o macho alfa que estupra corretivamente a lésbica "mal comida". E é ela a doente que precisa de cura, claro!
É o aluno de medicina, estudante da “melhor universidade da América latina”, que estupra a caloura bêbada. E é a denúncia dela que mancha o nome da Universidade, claro!
É o político defensor dos “bons costumes” que só não estupra a deputada porque ela 'não merece'. Ufa, pelo menos alguém sensato nessa história violentada do Brasil.


*Valdson Almeida